Evento sobre o combate à fome na comunidade do Amazonas tem nova data; inscrições já estão abertas

 

Evento faz parte do projeto “Ciência e Comunidade” e abordará o tema “Juntos rumo à soberania alimentar ”

 

Aline Rickly e Luiz Pistone(Fórum Itaboraí) - Publicado em 18/01/2023

As inscrições para o evento sobre o combate à fome na comunidade do Amazonas, no Quitandinha, estão abertas. O encontro, que estava marcado para novembro e foi adiado devido ao aumento de casos de covid-19 na cidade naquela época, já tem nova data e será no dia 31 de janeiro, das 9h às 18h. 
 
Esta é a primeira edição das Jornadas: Ciência e Comunidade, com o tema: “Juntos rumo à soberania alimentar- caminhos a trilhar”. O encontro é promovido pelo Fórum Itaboraí, programa da presidência da Fiocruz em Petrópolis, em parceria com os fóruns comunitários do Amazonas e da Vila Rica. 
 
O evento contará com uma programação intensa para abordar o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável número 2, que prevê: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. 
O evento será dividido em três momentos: 1) conceitual, 2) conhecimento da realidade dos territórios e 3) propostas para o combate à fome. A programação completa será composta por rodas de conversa, palestras, debates e apresentações artísticas.
 
Durante a jornada, a ideia é debater o tema e reunir propostas de soluções para enfrentar estes desafios, tendo em vista dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN), que revelou no ano passado que mais de 33 milhões de pessoas vivem na situação de insegurança alimentar mais grave no Brasil. “Acreditamos que se iniciará um ciclo inovador e inspirador de participação e envolvimento amplo na discussão dos principais problemas que afetam a população de Petrópolis”, afirma Felix Rosenberg, diretor do Fórum Itaboraí.
 
Local do evento e inscrições:
A jornada será realizada no dia 31 de janeiro, das 9h às 18, no salão da Igreja São José do Amazonas, que fica na Rua Vassouras, número 01, no Quitandinha. Para participar, é necessário fazer a inscrição on-line pelo formulário (https://forms.gle/8so3gWamD16HNNid8), ou presencialmente no Palácio Itaboraí.
Para mais informações ou ajuda para preencher o formulário, o contato pode ser feito pelo whatsapp: (24) 2103-2181 ou pelo e-mail: forumitaborai@fiocruz.br.
O evento não terá transmissão ao vivo mas, em breve, publicaremos o registro integral do evento em vídeo em nosso canal youtube.com/c/forumitaboraifiocruz
 
 
Programação*
 
8h30 - Café-da-manhã
9h – Abertura (com rápida explicação da Jornada)
 
Manhã
9h30 - 10h30 – Teatro Fórum
10h30 – 11h05 - Causas estruturais da Fome - Maria Emília Pacheco (Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional)
11h05 – 11h15 – perguntas 11h15 - 11h50 – Tecnologia Social: para uma economia alternativa – Felipe Addor (Associação Brasileira de Ensino Pesquisa e Extensão em Tecnologia Social)
11h50 – 12h – perguntas
12h – 12h20 – Introdução ao tema Agroecologia e Agricultura Urbana - Thiago da Cruz Alves (Fórum Itaboraí)
12h20 – 12h50 – Debate
 
12h50 – 13h50 – Almoço fornecido no local do evento
 
Tarde
13h50 -14h00 – Momento poesia – Maria da Penha da Mata
14h00 – 14h20 – Relato da experiência do Verdejar Socioambiental – horta urbana e organização comunitária – Edson Gomes Loiola Filho
14h20 – 14h40 - Relato de experiência do Centro Educacional da Serra da Misericória (CEM) – horta urbana em comunidade do complexo da Penha – preservação ambiental e organização comunitária. (a confirmar)
14h40 – 15h00 – Políticas públicas como instrumentos para enfrentamento da fome em Petrópolis – Talita Berti (COMSEA / Petrópolis)
15h00 – 15h30 – Formação de grupos - Debate com temas para encaminhamento de propostas
1 – Hortas urbanas
2 – Cozinhas solidárias
3 – Cooperativas e outras formas de geração solidária de renda
4 – Feiras, comércio local – diversas formas de comercialização
5 – Programas públicos para combater a forme em Petrópolis
15h30 – 16h30 – Apresentação dos grupos e debate
16h30 – 17h00 - Encaminhamentos e encerramento
 

*Sujeita a alterações

 

Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí se apresenta no Boulevard do Theatro Municipal do Rio nesta quinta-feira, 22/12

Concerto é aberto ao público e faz parte da programação “Boulevard de portas abertas”

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí/Fiocruz)Publicado em 21/12/2022

 

A Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí (OCPIT) vai se apresentar nesta quinta-feira (22) no Boulevard do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O concerto, aberto ao público, será às 16h e marca o encerramento das atividades da OCPIT em 2022. 

 

Segundo Nina Mayer, diretora executiva da orquestra, uma das maiores conquistas da OCPIT neste ano foi se apresentar pela primeira vez no Theatro Municipal do Rio em outubro, na ocasião, ao lado de outras três orquestras sociais e da Orquestra e Banda da UniRio. “Agora, fechamos os concertos deste ano participando do Boulevard de portas abertas, com uma apresentação que promete encantar o público presente”, afirma.

 

As aulas presenciais da OCPIT foram retomadas em 2022 após o período de isolamento devido à pandemia. Para Nina, outra conquista percebida ao longo do ano foi o fortalecimento emocional dos alunos, por meio da socialização e integração desses jovens. “Sentimos que eles se sentiram acolhidos e mais resilientes”, conta. 

 

O concerto da OCPIT no Boulevard é realizado pelo Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde, da Fiocruz e a Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo e Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com gestão cultural da Sociedade Promoção Casa de Oswaldo Cruz (SPCOC) e apoio do Instituto Municipal de Cultura (IMC). Conta ainda com patrocínio da EDF Norte Fluminense, Abbott, White Martins, GE Celma e Supergasbras.

 

Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí fará apresentações gratuitas em Petrópolis neste mês

Recital de viola e violino e concertos abertos ao público fazem parte da programação de fim de ano da OCPIT

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí/Fiocruz)Publicado em 05/12/2022

 

A Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí (OCPIT) fará três apresentações abertas ao público neste mês de dezembro em Petrópolis. Recital de viola e violino, no Palácio Itaboraí, e concertos no Teatro Afonso Arinos e na Catedral São Pedro de Alcântara, marcam a participação da OCPIT na programação de fim de ano na cidade.

A primeira apresentação gratuita será nesta segunda-feira (5), às 19h, no Palácio Itaboraí. Na ocasião, os alunos apresentarão ao público um recital de viola e violino. Já a segunda apresentação será no dia 12 de dezembro, às 18h, no Teatro Afonso Arinos, que fica no Centro de Cultura. O concerto tem apoio do Instituto Municipal de Cultura (IMC).Quem quiser assistir as apresentações deve fazer a reserva pelo Whatsapp: (24) 2103-2181. As vagas são limitadas.

Essas duas primeiras apresentações da OCPIT são realizadas pelo Fórum Itaboraí: Ciência, Política e Cultura na Saúde, Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, com gestão cultural da Sociedade Promoção Casa de Oswaldo Cruz (SPCOC). E conta ainda com patrocínio da EDF Norte Fluminense, Abbott, White Martins, GE Celma e Supergasbrás. A ação é um produto da lei de incentivo federal.

Concerto Integração

E, dentro da programação do Natal Imperial, promovido pela Prefeitura de Petrópolis, a OCPIT irá integrar o Concerto Integração, na Catedral São Pedro de Alcântara. A apresentação será no dia 20.12, às 20h, com repertório natalino.

Ao todo, serão 12 músicas arranjadas pelo compositor Raphael Muniz para um efetivo de aproximadamente 60 músicos integrantes de diversos projetos sociais que atuam em Petrópolis. O evento também é aberto ao público e, neste caso, não é preciso fazer reserva.

Sobre a Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí

A Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí (OCPIT) é um projeto do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde (Fiocruz /Petrópolis) destinado a estudantes da rede pública de ensino em Petrópolis. O projeto sociocultural foi criado em 2013 e tem o propósito de desenvolver o aprendizado com perspectiva profissionalizante e humanista.

Os jovens musicistas vivenciam um curso intensivo e gratuito no decorrer de três anos totalizando uma carga horária de 300 horas por ano, com aulas teóricas e práticas de música, masterclasses e intercâmbios com universidades de música, além de apresentações regulares de concertos para diversos públicos, inclusive em escolas da rede pública de Petrópolis.

 

 

Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí se apresenta nesta quinta na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro

Apresentação será às 16h30 em concerto que antecipa a comemoração ao Dia Internacional do Voluntariado

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí/Fiocruz)Publicado em 01/12/2022

 

A Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí – OCPIT, vai se apresentar nesta quinta-feira (1º), na Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro em um concerto organizado pela EDF Norte Fluminense - filial brasileira do Grupo francês Électricité de France - para projetos e serviços de geração térmica e hídrica no Brasil. O concerto, aberto ao público, será às 16h30.
 
A apresentação antecipa a comemoração ao Dia Internacional do Voluntariado, que é lembrado em 5 de dezembro, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU). Integrada nesta oportunidade por 24 alunos, a OCPIT, projeto do Fórum Itaboraí, se apresenta pela primeira vez na Catedral Metropolitana do Rio.
 
Segundo Nina Mayer, coordenadora executiva da orquestra, os alunos estão animados para participar do concerto em um cartão-postal do Rio de Janeiro. “É sempre gratificante poder levar a orquestra para locais dessa magnitude. Preparamos um programa especial e esperamos emocionar o público presente”, afirma.
 
O concerto é realizado pela Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, com gestão cultural da Sociedade Promoção Casa de Oswaldo Cruz (SPCOC). A apresentação conta com patrocínio da EDF, Abbott, White Martins, GE Celma e Supergasbrás. O apoio é da Crosman eventos.
 
Programa
▪ Sérgio di Sabbato - Suíte Palácios de Petrópolis
I. Palácio Imperial
II. Palácio de Cristal
III. Palácio Rio Negro
IV. Palácio Itaboraí
▪ Dimitri Cervo - Suíte Brasileira
I. Prelúdio
II. Cantiga de Cego
III. Capoeira
IV. Desafio
▪ J. S. Bach - Jesus Alegria dos Homens
▪ F. Mendelssohn - Canção Angelical
▪ C. Guerra-Peixe - Mourão

 

Expediente do Palácio Itaboraí em dias de jogos do Brasil na Copa

O Fórum Itaboraí informa a alteração do expediente nos dias de jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo seguindo a Portaria 9.763, do Ministério da Economia, publicada no Diário Oficial da União em 11/11. De acordo com o documento, a alteração dos horários de expedientes se dará da seguinte forma:
I - nos dias em que os jogos se realizarem às 12h não haverá expediente;
II - nos dias em que os jogos se realizarem às 13h, o expediente se encerrará às 11h, horário de Brasília;
III - nos dias em que os jogos se realizarem às 16h, o expediente se encerrará às 14h, horário de Brasília.
 
Primeira fase
Os jogos do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo acontecerão nos dias 24 de novembro (16h), 28 de novembro (13h) e 2 de dezembro (16h).

Novas orientações para realização de atividades presenciais no Palácio Itaboraí

 

O Fórum Itaboraí informa que voltou a adotar alguns protocolos de convivência para a realização de atividades nas dependências do Palácio Itaboraí, incluindo a visitação ao Palácio Itaboraí, à Trilha do Arboreto, às exposições e a participação em eventos:

1) A apresentação do cartão com esquema vacinal com, pelo menos, 1 dose de reforço passa a ser obrigatória para pessoas com mais de 12 anos.

2) O uso de máscaras e de álcool em gel volta a ser recomendado em todas as dependências do Palácio.

3) A quantidade limite de participantes e convidados para eventos será novamente reduzida para que o distânciamento seguro seja respeitado.

O objetivo das ações é minimizar a possibilidade de contágio e disseminação do coronavírus devido ao aumento de casos de covid-19 registrados em Petrópolis.

 

Evento sobre o ‘combate à fome’ na Comunidade do Amazonas, no Quitandinha, é adiado devido ao aumento de casos de covid-19

 

O encontro seria a primeira edição das Jornadas: Ciência e Comunidade, com o tema: “Juntos rumo à soberania alimentar- caminhos a trilhar”, promovido pelo Fórum Itaboraí, programa da presidência da Fiocruz em Petrópolis, em parceria com os fóruns comunitários do Amazonas e da Vila Rica. 

 

A nova data será marcada assim que houver um cenário epidemiológico que permita que o encontro ocorra com segurança para todos os participantes.

Fórum Itaboraí garante implantação de Jardim Sensorial na Faeterj

Ao todo, foram plantadas 20 espécies que estimulam pelo menos quatro dos cinco sentidos. A ação faz parte da programação da 19ª Semana de Ciência e Tecnologia, que também terá palestra sobre as plantas medicinais nos 200 anos de Independência nesta sexta
 

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí / Fiocruz) / Publicado em 21/10/2022

Uma parceria entre o Fórum Itaboraí e a Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro (Faeterj-Petrópolis) garantiu a implantação de um Jardim Sensorial, com 20 espécies, que estimulam tato, visão, olfato e paladar. Elas já podem ser vistas na entrada do campus, que fica no bairro Quitandinha. 
 
A ação faz parte da programação da 19ª Semana de Ciência e Tecnologia, que também terá uma palestra hoje, sexta-feira (21), às 11h, sobre as plantas medicinais nos 200 anos de Independência. O tema será abordado pelo biólogo e responsável técnico pelo Horto Escola do Fórum Itaboraí, Sérgio Monteiro. “Vamos fazer um resgate da história, citando a obra de Auguste François César Prouvençal de Saint-Hilaire. Ele percorreu o Brasil entre 1816 e 1822 e, em 1824, publicou o título inédito na língua portuguesa: ‘Plantas usuais dos brasileiros’, com o registro de 73 espécies”, explica Sérgio.  
 
Sobre o Jardim Sensorial da Faeterj, Sérgio diz que as plantações ocorreram ao longo da semana, sendo plantadas pelos funcionários da Faeterj e alunos das escolas que visitaram o evento. Todas as espécies podem ser tocadas e algumas estimulam ainda mais os sentidos, como o capim limão, alecrim e hortelã, que despertam o olfato; o Jambu e a Estévia associadas ao paladar; e o Peixinho e a Cavalinha, que despertam o tato - a primeira transmite a sensação de estar tocando em uma camurça e a outra estimula o sentido por ser áspera. Já a Cinerária chama a atenção visualmente por ser prateada e se destacar em meio ao verde. 
 
O jardim conta inicialmente com 20 espécies: Manjericão (Ocimum basilicum), Camomila (Matricaria chamomilla), Melissa (Melissa officinalis), Peixinho (Stachys byzantina), Citronela (Cymbopogon winterianus), Elevante (Mentha citrata), Hortelã (Mentha crispa), Poejo (Mentha pullegium), Menta piperita (Mentha piperita), Guaco (Mikania laevigata), Cavalinha (Equisetum hyemale), Capim limão (Cymbopogon citratus), Sálvia (Salvia officinalis), Alfazema (Lavandula dentada), Erva-cidreira (Lippia alba), Tomilho (Thymus vulgare) e Cinerária (Jacobaea marítima), Estévia (Stevia rebaudina), Jambú (Acmella oleracea) e Alecrim (Rosmarinus officinalis). 
 
O projeto teve a iniciativa do coordenador de extensão da Faeterj, Roberto Roli, e contou com apoio da equipe de jardinagem da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep). A proposta é que o Jardim Sensorial também sirva como área de experimento do Projeto Tupã, coordenado pelo professor Alan Giese, que visa desenvolver mecanismos de monitoramento e automação para irrigação de jardins e hortas urbanas.  
 
Segundo Lucimar Cunha, diretora da Faeterj Petrópolis, o espaço de bem-estar e lazer, vai proporcionar mais oportunidades de integração entre as pessoas.  
 
“Um jardim criado para surpreender, educar e instigar a curiosidade de quem o visita. Essa é a proposta do Jardim Sensorial da Faeterj Petrópolis. Construímos coletivamente um novo espaço, um ambiente composto por boa variedade de plantas e estruturado com o propósito de oferecer, aos visitantes, estímulo aos sentidos, uma vez que permite às pessoas tocarem nas plantas para sentir suas texturas, formas e aromas”, conclui.
 

 

Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí participará de concerto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Apresentação gratuita será no sábado (15/10) e marca encerramento do projeto ‘Orquestras Sociais – Cultura e Cidadania’ da Fiocruz em parceria com o Instituto Villa Lobos

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí/Fiocruz)Publicado em 13/10/2022

Um concerto de integração no Theatro Municipal do Rio no sábado (15), às 16h, vai marcar o encerramento do projeto “Orquestras Sociais – Cultura e Cidadania” da Fiocruz em parceria com o Instituto Villa Lobos. A apresentação gratuita terá a Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí, da Fiocruz em Petrópolis, e outros projetos sociais, como: “Solar Meninos de Luz”, do Cantagalo; “Além do Morro”, do Chapéu Mangueira; “Casa Amarela”, da Providência; “Escola de Música da Rocinha”, além da participação especial da Orquestra e banda da UNIRIO.
 
O projeto “Orquestras Sociais – Cultura e Cidadania” tem apoio da Secretaria Municipal de Cultura - Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro - através da lei de incentivo à cultura Municipal. O objetivo é o fortalecimento dos projetos socioculturais de formação de orquestra, por meio da estratégia de construção de pontes entre a música orquestral e a sociedade, o ambiente acadêmico e os projetos sociais, entre os graduandos e as diversas realidades locais.
 
Ao longo do processo, o projeto incorporou várias etapas, como a realização de oficinas ministradas por oito monitores discentes dos cursos de Música da UNIRIO, a realização de cinco visitas ao Instituto Villa Lobos, além da realização de um festival nas dependências da UNIRIO, com três dias de duração, para oferecimento de “master classes” e ensaios para o concerto de integração.
 
Felix Rosenberg, diretor do Fórum Itaboraí, programa da Fiocruz em Petrópolis, ressalta que o concerto vem a constituir um rito na história bem-sucedida da Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí. “Primeiro pelo reconhecimento e cooperação de outros projetos, em particular da UNIRIO mas, sobretudo, pelo acerto da Presidência da Fiocruz ao colocar o acesso à arte e cultura musical como instrumento de grande relevância para diminuir as enormes desigualdades sociais e econômicas que existem em nosso país e, em particular, em Petrópolis”, afirma.
 
Para Sérgio Azra Barrenechea, coordenador artístico do projeto, o concerto de encerramento deste projeto é uma oportunidade não só de congregar todas as forças artísticas presentes desde o início das atividades com os alunos, dos professores, monitores, bolsistas em um único objetivo. “É também uma forma de demonstrar o que somos capazes de realizar juntos: fazer a música tocar o público com emoção”, diz.
 
Para ele, o ensinamento mais essencial tirado de todo esse processo, que teve seu início no planejamento coletivo envolvendo os cinco projetos participantes, foi a colaboração. “Tivemos o empenho de muitas pessoas desde os aspectos de produção, como busca de patrocínio, até a escolha do lindo repertório do concerto. Só temos que agradecer a todos que puderam tornar tudo isso possível, pois ao presenciar a alegria e entusiasmo dos envolvidos nos ensaios de preparação, nos deu a sensação de dever cumprido, de saber que estamos no caminho certo, que é trazer para o âmago da universidade os anseios e demandas da sociedade, fazendo essa ponte com os projetos sociais e apontando os caminhos para os mais novos”, conclui Sérgio.

 

Ingressos: Para assistir ao concerto, basta retirar os ingressos no site do Theatro Municipal, por este link. Cada pessoa pode retirar até quatro ingressos por CPF cadastrado.

 

 

Palácio Itaboraí recebe exposição “Aedes: que mosquito é esse?”

Mostra guiada e interativa pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30. A entrada é gratuita.

Aline Ricly e Luiz Pistone (Fórum Itaboraí/Fiocruz)Publicado em 10/10/2022 (Atualizado em 01/11/22)

O Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde recebe, de 10 de outubro até 12 de dezembro, a exposição “Aedes: que mosquito é esse?”. O objetivo é conscientizar a população sobre a disseminação do mosquito, principalmente nessa época do ano em que aumentam os casos das doenças provocadas pelo Aedes Aegypti, que são a Dengue, Zika e Chikungunya.
 
A exposição é dividida em cinco módulos: “Dengue”, “Zika” e “Chikungunya”, “Os vírus - por dentro dos vírus” e “Um mosquito doméstico – o zumzumzum da questão”.  A mostra conta ainda com diversos recursos tecnológicos e aborda diferentes aspectos do mosquito por meio de atividades lúdicas e interativas. 
 

Mensagens de conscientização como: “Pneus devem ser guardados em locais cobertos” e “As garrafas vazias devem ser armazenadas sempre com a boca para baixo, em um local coberto”, fazem parte da exposição. 

 
“Nossa ideia é levar informação de qualidade ao público. Além de explicar sobre como evitar a proliferação do mosquito, os painéis mostram as diferenças com relação aos sintomas e tratamento de cada uma das doenças provocadas pelo Aedes Aegypti”, diz Juliana Possas, Assessora de Eventos e Exposições do Fórum Itaboraí.
 
A mostra é uma iniciativa do Museu da Vida Fiocruz/Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, com o apoio da Rede Dengue, Zika e Chikungunya da Fiocruz, a exposição tem a curadoria de Waldir Ribeiro, Luis Carlos Victorino, Fernanda Gondra e Miguel Oliveira, e conta com a colaboração do Serviço de Itinerância, a partir das produtoras Flávia Lima e Marta Fabíola Mayrink. 


‘Aedes: que mosquito é esse?' integra as ações do projeto Arte e Ciência sobre Rodas, aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, com a Gestão Cultural da SPCOC, com patrocínio das empresas BAYER, Grupo DPSP,  Drogarias Pacheco, IBM, 3M e EDF Norte Fluminense. 

 
A exposição é guiada e pode ser visitada até o dia 16 de dezembro. O horário de visitação é de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30. A classificação é livre e a entrada é gratuita. Para grupos com mais de cinco pessoas, é preciso fazer o agendamento pelo e-mail: forumitaborai@fiocruz.br
 
O Palácio Itaboraí fica na Rua Visconde de Itaboraí, nº 188, no Valparaíso. O espaço conta com estacionamento e acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
 
 
 

Páginas