Atividades do Fórum Itaboraí terão restrições devido à pandemia do coronavírus

Em conformidade com as decisões dos órgãos de saúde ligados ao poder público federal, estadual e municipal, o Fórum Itaboraí informa que implementou medidas para restringir a circulação de pessoas nas dependências do Palácio Itaboraí e nas ações de todos os projetos. Todas as atividades coletivas, internas e externas, estão suspensas até o dia 31 de março. Durante o período, o Palácio Itaboraí estará fechado para a visitação e só será permitida a entrada de funcionários, respeitando a escala estabelecida. O objetivo das ações é minimizar a possibilidade de contágio e disseminação do coronavírus.

Contatos:

E-mail: forumitaborai@fiocruz.br

Facebook: facebook.com/forumitaborai/

 

Portal Fiocruz tem área especial com informações sobre o coronavírus

Página dedicada ao assunto reúne o conteúdo produzido na Fundação sobre a doença

Em meio à epidemia de coronavírus, a Fiocruz tem atuado não apenas no esclarecimento de aspectos biológicos da doença, mas também na área da comunicação e informação em saúde. Para dar visibilidade a essa produção, o Portal Fiocruz lançou uma página especial que, além de notícias e vídeos, traz perguntas e respostas com as principais dúvidas da população e uma seção voltada para especialistas, com links para as principais fontes de informação em saúde sobre a epidemia. 

Desde o seu lançamento, em 5 de fevereiro de 2020, a página já acumula mais de 1,1 milhão de visualizações. Os conteúdos mais acessados nesse período foram as perguntas e respostas sobre o coronavírus, o que reflete o anseio da população por informações confiáveis.
 
Confira o especial do Portal Fiocruz sobre o coronavírus: fiocruz.br/coronavirus.
 
 

O mercado de trabalho na música clássica é tema de palestra gratuita no Palácio Itaboraí

O músico e pesquisador Lipe Portinho falará sobre as oportunidades da carreira

A Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí – OCPIT recebe no próximo dia 06 de março, de 15h às 17h, o músico contrabaixista e pesquisador Lipe Portinho para a palestra "O músico existencial: o mercado de trabalho na música". Com entrada franca, a palestra tem o objetivo de trazer luz às possibilidades de carreira que um profissional de música clássica pode seguir depois da formação superior. 

Segundo Celso Franzen Jr., maestro e coordenador da OCPIT, é comum para as pessoas que entram para a faculdade de música terem uma expectativa restrita de tornar-se um concertista, que, segundo ele é apenas um dos diversos caminhos possíveis. “Não foi diferente comigo, que entrei na faculdade às escuras, ainda sem saber exatamente quais as possibilidades a profissão poderia me oferecer e fui aprendendo na prática o mundo que pode ser aberto para o profissional de música clássica”, conta o regente, que entende que esta carreira ainda está amadurecendo no Brasil, principalmente no que se refere às políticas públicas para o segmento.
 
O conteúdo da palestra de Portinho faz parte de um estudo do músico a respeito do mercado de trabalho e é direcionado a qualquer pessoa que possa se interessar pelo assunto. “Para nossos instrumentistas da Orquestra e seus familiares, sem dúvidas, é uma rara oportunidade, uma vez que nosso propósito é oferecer formação orquestral, humanista e profissionalizante a estes jovens e conteúdos como este possibilitam visualizar caminhos futuros dentro da realidade da carreira”, explica Celso.
 
Embora aberta ao público, a palestra requer inscrição prévia, que pode ser feita pelo telefone (24) 2246-1430. As vagas são limitadas. O Palácio Itaboraí fica na Rua Visconde de Itaboraí, 188 – Valparaíso – Petrópolis- RJ
 

Horta comunitária no Madame Machado é tema de reportagem do programa "Inter TV Rural"

O programa "Inter TV Rural" exibiu, no dia 23 de fevereiro de 2020, uma matéria sobre a horta comunitária criada na comunidade Madame Machado, em Petrópolis. A iniciativa é da associação de moradores do bairro e conta com o apoio técnico do Fórum Itaboraí, unidade da Fiocruz em Petrópolis, e com a parceria do quilombo da Tapera, na doação de mudas.

Para mais informações sobre o projeto, acesse http://www.forumitaborai.fiocruz.br/node/1169

Para ver a reportagem, clique na imagem abaixo:

 

Fórum Itaboraí promove curso de práticas agroecológicas para comunidades petropolitanas

Objetivo é ampliar conhecimento em agricultura urbana, fortalecer laços comunitários e aumentar a segurança nutricional

A partir da próxima quarta-feira (05) até abril, moradores dos bairros Amazonas, Glória, Meio da Serra, Pedras Brancas, Posse e Retiro poderão participar dos “Encontros de Formação e Interação de Saberes em Agricultura Urbana”, cujos objetivos são gerar autonomia, soberania e solidariedade econômica e social mediante a promoção da segurança alimentar e de um maior vínculo com a terra, além de promover a troca de saberes, fortalecer os laços comunitários e contribuir com a redução da vulnerabilidade ambiental destes territórios.

A iniciativa é do Fórum Itaboraí, unidade da Fiocruz em Petrópolis, que desenhou estes encontros com base nas informações levantadas pelo Diagnóstico Rápido Participativo (DRP), trabalho que vem sendo realizado desde o início de 2017 em diversos bairros petropolitanos, por meio de articulações que envolvem Equipes de Saúde da Família – ESF e Centros de Referência de Assistência Social – CRAS, no âmbito da cooperação entre a Fiocruz, as Secretaria Municipais de Saúde e de Assistência Social de Petrópolis, com a cooperação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.

Segundo Felix Rosenberg, diretor do Fórum Itaboraí, o DRP tem apontado situações nos territórios que vinculam ao tema da agricultura urbana. “Identificamos demandas objetivas, como, por exemplo, iniciativas isoladas de hortas caseiras ou em pequenos espaços comunitários, bem como a alegada saudade de cultivar a terra, principalmente daquelas pessoas que originalmente são de áreas rurais e acabaram por deixar isso para trás com a vida na cidade. Mas também há outras situações apontadas pelo DRP, como o desemprego, a vulnerabilidade ambiental, problemas no descarte e na coleta de resíduos sólidos e no tratamento e a gestão dos esgotos, a ressignificação de espaços comunitários, a segurança alimentar de famílias nestes territórios e a participação social. E todas estas são questões que entendemos podem também ser trabalhadas a partir de abordagens práticas de agroecologia nestes espaços urbanos”, explica Rosenberg.

Os encontros propostos são semanais e somam 40 horas de um curso que leva aproximadamente três meses para ser percorrido e priorizará as atividades práticas, valorizando os conhecimentos e experiências existentes na comunidade. Claudemar Mattos, assessor da Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS) da Fiocruz e coordenador do ciclo de encontros, explica que além das técnicas agroecológicas, o aproveitamento integral dos alimentos e a participação social serão abordados como temas transversais nos encontros. “Com isso, promoveremos a integração do grupo, refletindo sobre a importância do trabalho comunitário, ao mesmo tempo em que aprendemos mais sobre técnicas de cultivo de alimentos adaptadas à nossa realidade e de gestão dos resíduos orgânicos, como os restos da cozinha e da varrição de folhas e aparas de grama. Juntos, vamos também aprender e ensinar formas de preparar estes alimentos, aproveitando-os ao máximo. Para praticar nosso aprendizado entre um encontro e outro, contaremos com os espaços existentes na comunidade para uma horta comunitária, além dos quintais particulares”, conta Claudemar.

Esta primeira turma acontecerá no território do bairro Amazonas e receberá moradores das outras comunidades já citadas. Por ser a primeira experiência, terá um caráter “piloto”, ou seja, onde a metodologia será testada e, se necessário, ajustada para a replicação do curso para os outros 12 bairros de Petrópolis em que o Fórum Itaboraí atua com práticas de gestão local participativa e intersetorial em saúde.

 

Palácio Itaboraí recebe a exposição "O Pequeno Príncipe visita o Palácio Itaboraí"

Mostra gratuita traz informações e curiosidades sobre a obra clássica da literatura e seu autor

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” – essa é uma das mais célebres frases do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, mundialmente conhecido por sua obra O Pequeno Príncipe. Além de escritor e ilustrador, Saint-Exupéry também era piloto da companhia francesa de correio aéreo Aéropostale e, talvez poucas pessoas saibam, mas uma pequena parte da sua história tem uma estreita relação com Petrópolis: com a expansão da aviação comercial na América do Sul, na década de 1920, Saint-Exupéry fazia escalas no Rio de Janeiro e, quando havia tempo entre uma viagem e outra, subia a serra e se hospedava na propriedade de seu amigo, também piloto, Marcel Reine, em Itaipava. Desde a década de 1940, esta casa é mantida por uma mesma família que a adquiriu após a Segunda Guerra Mundial e deu-lhe o nome de La Grande Valée (A casa do Pequeno Príncipe), onde preservam a memória da Aéropostale e do piloto.

De 21 de janeiro a 29 de maio, apreciadores do principezinho e do autor desse clássico da literatura universal terão a oportunidade de vivenciar a exposição “O Pequeno Príncipe visita o Palácio Itaboraí”, uma iniciativa do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde em parceria com o Instituto Municipal de Cultura e Esportes - IMCE e a La Grande Valée. A mostra traz curiosidades e informações sobre como o Pequeno Príncipe e a Aéropostale estão conectados: conta quem foi Saint Exupéry, onde ele trabalhava e como se deu o início da escrita e concepção de sua famosa obra literária. Quem visitar a exposição também poderá conhecer – ou reencontrar – alguns personagens que fazem parte da jornada do principezinho, como a Raposa e o Carneiro. Há, ainda, uma seção em que os visitantes poderão deixar suas mensagens para o mundo, registrando-as em estrelas que permanecerão penduradas em galhos. E mais: na “mesa do escritor” uma história já iniciada estará aberta para cada pessoa que quiser escrever um pequeno trecho e, juntos, construirmos uma grande história a diversas mãos.

No canal do youtube do Fórum Itaboraí (https://www.youtube.com/playlist?list=PL8ANDU7I_qdKquWX2resu2_ko81-sK9AD) interessados podem acessar podcasts com conteúdos relacionados. A mostra “O Pequeno Príncipe visita o Palácio Itaboraí” tem entrada franca e está aberta de terça a sexta, de 8:30h às 16:30h, e aos sábados, de 9:00h às 16:00h.Escolas interessadas podem fazer o agendamento pelo telefone (24)2246-1430. A classificação é livre.

O Palácio Itaboraí, sede do Fórum, fica à rua Visconde de Itaboraí, 188, Valparaíso, em Petrópolis, e a mostra pode ser visitada de segunda a sexta, de 8h30 às 16h30, e aos sábados, de 9h às 16h. Classificação etária: livre.

 

Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí recebe doações a partir do IR de pessoa física

Plataforma online traz o passo-a-passo de como doar

Pessoas físicas que admiram a Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí dispõem de mais uma forma de contribuir com o trabalho de cidadania e transformação através da música, que há seis anos vem oferecendo formação orquestral, humanista e profissionalizante a  mais de 100 adolescentes e jovens da rede pública de ensino de Petrópolis.

 

Por meio da campanha IR que Transforma (www.irquetransforma.org.br), é possível doar até 6% do imposto de renda devido a pagar ou a restituir, com dedução fiscal de 100% do valor investido, para o projeto sociocultural. A campanha foi lançada pela Vice-Presidência de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fundação Oswaldo Cruz (VPGDI/Fiocruz), por meio de seu Escritório de Captação de Recursos, com o objetivo de dar ao cidadão o poder da decisão e a oportunidade de direcionar parte de seu imposto de renda devido a projetos socioculturais aprovados pela Lei de Incentivo à Cultura e idealizados pela Fiocruz, contribuindo efetivamente com ações em benefício da cultura do nosso país. O IR que Transforma dispõe de uma plataforma própria, com simulador (www.irquetransforma.org.br/#simulador)e o passo-a-passo para fazer a doação.

 

Caso esta aconteça até o último dia útil de 2019, o valor doado já poderá ser lançado na declaração do imposto de renda de 2020, no campo próprio de “doações efetuadas”, possibilitando o benefício da isenção.

 

Para conhecer mais sobre a Orquestra de Câmara do Palácio itaboraí, assista ao documentário em www.youtube.com/watch?v=kjeYKqG2J9s&t=1s

Páginas